Escritas do mundo, escritas do papel. As múltiplas formas artísticas contemporâneas produzem narrativas híbridas e complexas, organizando novos espaços de experimentação e investigação que se interpenetram. Os corpos estão nas ruas, escrevendo suas histórias, deixando seus rastros no mundo. A Numa tem o desejo de tornar impressas essas narrativas, poemas, desenhos, sons e espalhá-los por aí, a quem interessar, marcando os passos nas palavras, que passam de livro a livro, inventando novos mundos possíveis.